Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais
Saltar para conteúdo. Pesquisar FAQ Ajuda Quem somos

Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho

Seleccionar Língua:

Rede OSHA
Loading
Você está aqui: Entrada Tópicos Stress e riscos psicossociais Stresse - definição e sintomas

Stresse - definição e sintomas

Definição e causas

As pessoas sofrem de stresse quando sentem que há um desequilíbrio entre as solicitações que lhes são feitas e os recursos de que dispõem para responder a essas solicitações.

Embora seja psicológico, o stresse afecta igualmente a saúde física do indivíduo.

 

Entre os factores de risco mais comuns do stresse relacionado com o trabalho contam-se a falta de controlo sobre o trabalho, solicitações inadequadas e falta de apoio por parte dos colegas e das chefias.

 

O stresse é provocado por um desajustamento entre nós e o trabalho, por problemas de relacionamento, pela presença de violência psicológica ou física no local de trabalho ou ainda pela existência de conflitos entre o nosso papel no trabalho e fora dele.

 

Cada indivíduo reage de forma diferente às mesmas circunst-ncias. Umas pessoas reagem melhor do que outras à pressão de muitas solicitações. O que conta é a avaliação subjectiva que cada indivíduo faz da sua situação, não sendo possível determinar com base exclusivamente na situação o stresse que esta pode provocar.

 

O stresse pontual - por exemplo, para cumprir um prazo - não constitui, em princípio, um problema: pelo contrário, pode ajudar as pessoas a darem o seu melhor. O stresse constitui um risco para a segurança e a saúde quando se torna persistente.

Sintomas de stresse relacionado com o trabalho

O stresse pode alterar a forma como uma pessoa sente, pensa e se comporta. Entre os sintomas de stresse contam-se:

 

Ao nível da organização:

 

  • absentismo, elevada rotatividade do pessoal, incumprimento de horários, problemas disciplinares, assédio, produtividade reduzida, acidentes, erros e agravamento dos custos de compensação ou de saúde.

 

A nível individual:

 

  • reacções emocionais (irritabilidade, ansiedade, perturbações do sono, depressão, hipocondria, alienação, esgotamento, problemas ao nível das relações familiares);
  • reacções cognitivas (dificuldades de concentração, de memória, de aprendizagem e de decisão);
  • reacções comportamentais (abuso de drogas, álcool e tabaco; comportamento destrutivo) e
  • reacções fisiológicas (perturbações lombares, défice imunitário, úlceras pépticas, problemas cardíacos, hipertensão).