Inquérito sobre a exposição dos trabalhadores aos fatores de risco de cancro na Europa

Com o cancro a representar uma estimativa de 53 % de todas as mortes relacionadas com o trabalho na UE e noutros países desenvolvidos, dados fiáveis sobre as exposições aos fatores de risco de cancro no local de trabalho são essenciais tanto para a segurança e a saúde dos trabalhadores como para uma economia produtiva e sustentável.

A EU-OSHA planeia realizar um inquérito sobre a exposição dos trabalhadores aos fatores de risco de cancro na Europa a fim de melhor identificar os fatores de risco de cancro responsáveis pela maior parte das exposições. O inquérito incide também nas situações de exposição mais frequentes e no número e nas características dos trabalhadores expostos a uma série de fatores de risco de cancro, incluindo o amianto, o benzeno, o crómio, os gases de escape dos motores diesel, o níquel, o pó de sílica, a radiação UV, o pó de madeira e outros. O inquérito visa uma melhor orientação das campanhas de sensibilização e das medidas preventivas, bem como contribuir para decisões políticas baseadas em evidências.

Em 2017, foi concluído um estudo de viabilidade relativamente a um inquérito para avaliar a exposição dos trabalhadores a agentes cancerígenos, com base num inquérito australiano bem-sucedido que utiliza uma ferramenta inovadora para avaliar a exposição profissional (Occupational Integrated Database Exposure Assessment System, OccIDEAS). Os trabalhos preparatórios começam em 2020, identificando-se os primeiros países para realizar o inquérito e iniciando-se a preparação da metodologia e a adaptação do modelo australiano ao contexto europeu, com recurso à mesma aplicação que no inquérito australiano (OccIDEAS).

Em 2021 e 2022, o inquérito será desenvolvido e conduzido, estando a publicação das primeiras conclusões prevista para 2023. Na sequência de uma avaliação a realizar em 2024, serão tomadas decisões para alargar o inquérito a mais países e a fatores de risco adicionais.

Share this on: