You are here

Lesões musculosqueléticas

Musculoskeletal disorders. Woman being treated for musculoskeletal disorders
As lesões musculosqueléticas são uma das doenças mais comuns relacionadas com o trabalho. Afetam milhões de trabalhadores europeus, com um custo de milhares de milhões de euros para as entidades patronais. Combater as lesões musculosqueléticas contribui para melhorar a vida dos trabalhadores, mas é também, sem dúvida, um bom negócio.

As lesões musculosqueléticas afetam habitualmente a região dorso-lombar, a zona cervical, os ombros e os membros superiores; menos frequentemente afetam também os membros inferiores. Abrangem qualquer lesão ou perturbação das articulações ou outros tecidos. Os problemas de saúde variam entre dores intensas e mais fracas e situações clínicas mais graves, que exigem dispensa do trabalho e inclusivamente tratamento médico. Em casos mais crónicos, podem mesmo levar à incapacidade e à necessidade de deixar de trabalhar.

Os dois principais grupos de lesões musculosqueléticas são lombalgias perturbações nos membros superiores relacionadas com o trabalho (comummente conhecidas como «lesões por esforços repetitivos»).

Causas das lesões musculosqueléticas

A maioria das lesões musculosqueléticas relacionadas com o trabalho desenvolvem-se ao longo do tempo. Normalmente, não existe uma causa única para estas lesões; resultam frequentemente da combinação de vários fatores. As causas físicas e os fatores de risco organizacionais incluem:

  • Movimentação de cargas, especialmente quando isso induz a movimentos de torção e de flexão
  • Movimentos repetitivos ou com esforço
  • Posturas incorretas e estáticas
  • Ambientes com má iluminação ou temperaturas baixas e exposição a vibrações
  • Trabalho em ritmo acelerado
  • Estar de pé ou sentado, na mesma posição, muito tempo

Cada vez mais os dados apontam para uma correlação real entre as lesões musculosqueléticas e os fatores de risco psicossociais (especialmente quando conjugados com riscos físicos), incluindo:

  • Elevado volume de trabalho ou pouca autonomia
  • Pouca satisfação no trabalho

Prevenção

Não existe uma solução única, sendo que, ocasionalmente, será necessário procurar aconselhamento de especialistas para problemas menos comuns ou graves. Contudo, muitas soluções são simples e de baixo custo, como por exemplo, a possibilidade de disponibilizar um carrinho para auxiliar no manuseamento de mercadorias ou alterar a posição de artigos na secretária.

Para combater as lesões musculosqueléticas, as entidades patronais devem recorrer a uma conjugação de:

  • Avaliação do risco - adotar uma abordagem holística, avaliar e abordar todas causas possíveis (ver acima)
  • Participação do trabalhador - incluir os funcionários e seus representantes na discussão sobre os possíveis problemas e respetivas soluções

Saiba mais sobre Prevenir as lesões musculosqueléticas relacionadas com o trabalho.

Medidas

As medidas preventivas poderão incluir alterações em:

  • Disposição do local de trabalho - adaptar a disposição para melhorar as posturas adotadas no trabalho
  • Equipamentos - garantir que são ergonomicamente concebidos e adequados para as funções em causa
  • Trabalhadores - reforçar a sensibilização para os riscos e prestar formação sobre métodos de trabalho adequados
  • Funções - alterar os métodos ou ferramentas de trabalho
  • Gestão - planear o trabalho por forma a evitar o trabalho repetitivo ou prolongado em posturas incorretas. Planear pausas para descanso, prever a rotação de tarefas ou reatribuir trabalho
  • Fatores organizacionais - desenvolver uma política de prevenção e combate às lesões musculosqueléticas

A vigilância da saúde, a promoção da saúde e a reabilitação e reinserção dos trabalhadores que já sofrem de lesões musculosqueléticas são elementos que precisam igualmente de ser considerados numa abordagem de gestão destas lesões.

Legislação europeia

As diretivas europeias, os regulamentos dos Estados-Membros e as orientações de boas práticas já reconhecem a importância da prevenção das lesões musculosqueléticas. As diretivas relevantes incluem a «Diretiva-quadro» de SST e as diretivas que abrangem os seguintes temas: movimentação manual de cargas, equipamentos de trabalho, prescrições mínimas de segurança e de saúde nos locais de trabalho e prescrições mínimas de segurança e de saúde respeitantes ao trabalho com equipamentos dotados de visor (computador).

Em 2007, a Comissão Europeia levou a cabo um processo de consulta sobre possíveis medidas comunitárias, incluindo nova legislação. Foram suspensos alguns planos enquanto se aguarda uma revisão das Diretivas da UE em 2014-15. As lesões musculosqueléticas constituem uma prioridade reconhecida pelos Estados-Membros da UE e pelos Parceiros Sociais Europeus.

A EU-OSHA monitoriza a incidência, as causas e a prevenção das lesões musculosqueléticas. A EU-OSHA também apoia o intercâmbio de boas práticas.