Cancro relacionado com o trabalho

Um dos maiores problemas de saúde com que se deparam os locais de trabalho em toda a Europa (e, na realidade, em todo o globo) é o cancro relacionado com o trabalho. Segundo as estimativas, este é responsável por 53 % de todas as mortes relacionadas com o trabalho nos Estados-Membros da UE e noutros países desenvolvidos. De acordo com o Roteiro sobre agentes cancerígenos, surgem anualmente na UE cerca de 120 000 casos de cancro relacionados com o trabalho, em resultado da exposição a agentes cancerígenos no local de trabalho, causando a morte de aproximadamente 80 000 pessoas  todos os anos.

Contudo, a radiação, o stresse e outros fatores relacionados com a organização do trabalho também foram associados ao cancro relacionado com o trabalho. Além disso, dados recentes sugerem que a exposição profissional a desreguladores endócrinos (p. ex., alguns pesticidas) ou a nanomateriais pode causar cancro.

Estas estatísticas alarmantes levaram à tomada de medidas. Em 2017, a Comissão Europeia comprometeu-se a proteger os trabalhadores do cancro de origem profissional através de uma iniciativa sobre segurança e saúde no trabalho. Este objetivo foi alcançado em parte através da revisão da Diretiva relativa aos agentes cancerígenos e mutagénicos de forma a estabelecer limites de exposição relativamente às substâncias químicas cancerígenas comuns nos locais de trabalho na Europa.

Consulte o nosso projeto: Inquérito sobre a exposição dos trabalhadores aos fatores de risco de cancro na Europa