Substituir a resina perigosa pela impressão 3D para fazer moldes
18/06/2018 Tipo: Estudos de casos 9 páginas

Substituir a resina perigosa pela impressão 3D para fazer moldes

Keywords:Substâncias perigosas, Carcinogens, Campanha 2018-2019

Um fabricante de produtos de perfumaria e de higiene pessoal na Croácia decidiu substituir uma substância extremamente perigosa, a resina epoxídica, por uma substância alternativa menos nociva. Embora o processo de produção já respeitasse a regulamentação, a empresa achou que valia a pena mudá-lo, optando pela impressão 3D, se isso protegesse a saúde dos trabalhadores. A substituição resultou numa redução significativa do risco de desenvolver, por exemplo, dermatite alérgica de contacto e asma profissional e aumentou consideravelmente os níveis de produtividade dos trabalhadores.

Descarregamentos
download

Publicações adicionais sobre este tópico